Críticas por Pablo Villaça

Poster: Aconteceu Naquela Noite
Datas de Estreia: Nota:
Brasil Exterior Crítico
09/04/1934 23/02/1934
Distribuidora

 

 


Aconteceu Naquela Noite
It Happened One Night

Aconteceu Naquela Noite

Dirigido por Frank Capra. Com: Clark Gable, Claudette Colbert, Walter Connoly, Roscoe Karns, Alan Hale, Ward Bond, Jameson Thomas e Arthur Hoyt.

Aconteceu Naquela Noite é um filme tão leve e divertido que é quase impossível de se acreditar que o processo de filmagem tenha sido tão problemático. Apesar de, com o tempo, terem se tornado amigos, Gable e Capra não se davam bem no início da produção - em grande parte por culpa do próprio Gable, sempre bêbado. Além disso, Claudette Colbert criou todo o tipo de problemas para o pobre diretor, recusando-se até mesmo a mostrar suas pernas em uma das cenas cruciais do filme - mais tarde ela mudou de idéia quando Capra ameaçou usar uma `dublê` (ela não queria que as pernas de outra mulher fossem creditadas a ela).

O espantoso é que nada disso transparece na tela. Ao contrário: a impressão que temos é a de que todos se divertiram a valer durante a produção, como se fossem uma grande família. Aliás, o profissionalismo de todos, quanto a estas discussões, é mais um aspecto positivo deste filme.

Aqui, Colbert interpreta Ellie Andrews, uma moça rica extremamente mimada que foge do pai a fim de se encontrar com um homem com o qual se casara secretamente. Durante o caminho, em um ônibus, ela conhece um jornalista desempregado (Gable) que a reconhece e ameaça entregá-la ao pai (que a esta altura publicara fotos da moça em todos os jornais), caso ela não permita que ele a acompanhe e escreva uma matéria sobre sua `fuga para o amor`. Durante a viagem, eles vão se conhecendo - e se irritando mutuamente -, até que se apaixonam.

O roteiro, de Robert Riskin (colaborador habitual de Capra), é inteligente e repleto de diálogos afiados. Os dois personagens principais se alfinetam de uma maneira tão divertida que conquistam até mesmo o espectador mais mal-humorado. Além disso, a constante mudança de cenários (Aconteceu Naquela Noite é um road movie por natureza, talvez um dos primeiros) confere um tom mais ágil à narrativa, tornando tudo ainda mais agradável.

Clark Gable explora, aqui, seu lado mais debochado e bem intencionado. Seu Peter Warne é um homem que, apesar de mal-humorado, não perde a presença de espírito jamais. Ele é sempre capaz de se sair com uma resposta inteligente para os problemas mais complicados. Os olhares sarcásticos que ele dirige para a mimada Ellie são perfeitos. Já Colbert, como Ellie, consegue passar para o espectador uma certa vulnerabilidade, associada à determinação, que a tornam extremamente charmosa. Além disso, Colbert - uma comediante nata - consegue arrancar risadas até mesmo nas cenas claramente escritas para que Gable o fizesse (como aquela em que Peter a carrega nas costas, em um rio).

Em um filme recheado de ótimos momentos, sou obrigado a destacar a cena em que Gable descreve para Colbert os vários modos de se pedir uma carona, tentando provar, na prática, o que explicou para a garota em teoria. Seu desespero ao perceber que nenhum carro irá parar, enquanto tenta todos os seus métodos, é engraçadíssimo. Mas não posso esquecer-me do modo como Colbert prova para o rapaz que ela não precisa de `polegares` para conseguir uma carona. Tudo o que tem a fazer é mostrar as pernas. A cena é clássica e, a partir de então, foi plagiada por dezenas de filmes.

Frank Capra, como diretor, consegue sempre se manter discreto. Ele não procura aparecer mais do que seus personagens, o que é uma grande virtude. Ele deixa a história correr e, ao mesmo tempo, é hábil ao criar um clima gostoso, relaxante para o espectador. Capra não é um daqueles diretores que pecam pelo egocentrismo, sempre tentado encontrar um enquadramento que o eleve a uma categoria de `artista plástico` (honestamente, acho que Orson Welles exagerava algumas vezes neste aspecto). Não, tudo o que Capra quer é contar sua história de maneira a entreter, a fazer com que a platéia sinta-se bem. E consegue.

Aconteceu Naquela Noite foi o primeiro filme a receber os cinco principais Oscar’s: Filme, Diretor, Ator, Atriz e Roteiro. A premiação foi mais do que merecida: o filme é uma pérola do bom humor e do otimismo - afinal, não podemos nos esquecer de que Gable representa o cidadão médio que, de certa forma, enfrenta a arrogância dos poderosos. Não há como não gostar desta história.
``

1o. de Julho de 1998

Sobre o autor da crítica:

Pablo Villaça, 18 de setembro de 1974, é um crítico cinematográfico brasileiro. É editor do site Cinema em Cena, que criou em 1997, o mais antigo site de cinema no Brasil. Trabalha analisando filmes desde 1994 e colaborou em periódicos nacionais como MovieStar, Sci-Fi News, Sci-Fi Cinema, Replicante e SET. Também é professor de Linguagem e Crítica Cinematográficas.