Podcast | PODCAST #158: Os filmes de Tim Burton
Baixar Podcast | Feed RSS | Assinar no iTunes | Publicado em 20/02/2016

Sobre este podcast:

 

Instale o App do Podcast Cinema em Cena em seu smartphone!

Use a câmera do seu telefone para ler o código ao lado ou abra este link no navegador do telefone e crie um atalho para ele.

O ícone aparecerá na tela inicial e você terá acesso a todos os episódios!

 

 

Na 31ª entrada da série Grandes Diretores, o Podcast Cinema em Cena revisita a filmografia de Tim Burton, cineasta norte-americano mundialmente reconhecido por seu estilo sombrio, expressionista e gótico, percebido em filmes como Os Fantasmas Se Divertem, Batman e Batman: O Retorno, Edward Mãos de Tesoura, A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça e A Noiva-Cadáver.

Gravado em ocasião da visita de Burton ao Brasil para a exposição de seu trabalho no Museu da Imagem e do Som de São Paulo, o programa discute também os temas recorrentes e as influências do diretor, desde as artes plásticas, os curtas e o primeiro longa (As Grandes Aventuras de Pee-Wee, 1985), passando pelo auge com Ed Wood (1994) e os primeiros vacilos (Marte Ataca! e a refilmagem de Planeta dos Macacos) até um possível declínio recente, com filmes que incluem Alice no País das Maravilhas (2010), Frankenweenie (2012), Sombras da Noite (2012) e Grandes Olhos (2014).

Programa apresentado e produzido por Renato Silveira, com os comentários de Antônio Tinôco e Stephania Amaral, da equipe Cinema em Cena, e de Ana Lúcia Andrade, professora da Escola de Belas Artes da UFMG.

Edição e mixagem de áudio: Eduardo Garcia.

Interaja com os demais ouvintes nos comentários abaixo. Tem um recado para a nossa equipe? Envie sua mensagem para o e-mail cinema@cinemaemcena.com.br

Série Grandes Diretores: #1 - Steven Spielberg | #2 - Martin Scorsese | #3 - Billy Wilder | #4 - David Cronenberg | #5 - Sergio Leone |#6 - Roman Polanski | #7 - Paul Verhoeven | #8 - Glauber Rocha | #9 - Michelangelo Antonioni | #10 - John Carpenter |#11 - Stanley Kubrick | #12 - Michael Haneke | #13 - Robert Zemeckis | #14 - David Lynch | #15 - Pedro Almodóvar | #16 - Nelson Pereira dos Santos | #17 - Alfred Hitchcock | #18 - Brian De Palma | #19 - Woody Allen | #20 - Milos Forman | #21 - Eduardo Coutinho | #22 - Ethan e Joel Coen | #23 - Orson Welles | #24 - Andrei Tarkovsky | #25 - Hayao Miyazaki | #26 - Francis Ford Coppola | #27 - William Friedkin | #28 - Lars von Trier | #29 - Michael Mann | #30 - Jean-Luc Godard

EXTRAS:

- Episódio sobre Aladdin, de Teatro dos Contos de Fada, dirigido por Tim Burton em 1986:

- João e Maria, de Tim Burton, realizado para a TV em 1983:

- Episódio The Jar, de Alfred Hitchcock Presents, dirigido por Tim Burton em 1986:

- Série animada The World of Stainboy, dirigida por Tim Burton em 2000:

- Videoclipe de "Here With Me", da banda The Killers, dirigido por Tim Burton e estrelado por Winona Ryder:

- Curta Vincent (1982), um tributo a Vincent Price:

- Curta Tim, um tributo a Tim Burton:

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

TIRARD, Laurent. Grandes diretores de cinema. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

  • Patricia Falcao em 02/10/2016 às 19:11

    Tim Burton é um mestre em fantasia, admiro muito e estou escrevendo sobre um dos seus trabalhos que é injustiçado.

  • Laís Patrício em 28/02/2016 às 20:08

    Morta na farofa que incluiram o Tim Burton na série grandes diretores. Pelos podcasts que ouvi, achei que ele era detestado pela equipe do cinema em cena :O

  • fer em 23/02/2016 às 21:34

    Adaptações de Hq são pra brincar mesmo. Não dá pra levar a sério um cara que sai fantasiado pra combater o crime. Então querer essa realidade numa historia dessas é ridiculo! Mas fico imaginando, então, um filme com o Dicaprio e o Depp dirigido pelo Burton.

  • Alan Pires Ferreira em 22/02/2016 às 17:03

    Sem querer ser preciosista mas já sendo, Hollywood é “bosque de azevinho” (arbusto ornamental muito usado no Natal). Um “bosque sagrado” seria Holywood. Mas a piada continua valendo pois a pronúncia é bem parecida: a única diferença é que “holly” azevinho tem o ó aberto, enquanto “holy” sagrado tem o ô fechado.

  • claudio glebson silva do santos em 22/02/2016 às 08:26

    Parabéns novamente pelo belo Podcast!!! Gostoo do Tim burton, apesar de não ter visto todos a sua filmografia. Mas já peguei algumas dicas de vocês para ver outros filmes dele.

 

Redes Sociais Sobre