Bem-vindo!
 
Publicidade
Publicidade
Bigelow recebeu apoio da CIA para rodar morte de Bin Laden
26/05/12 - 01h23
por

Montagem

Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror), cineasta que atualmente roda Zero Dark Thirty, centrado na operação que matou Osama Bin Laden, recebeu mesmo acesso a informações confidenciais sobre a missão, reportou o blog The Playlist. Desde 2010, quando iniciou a produção do filme, ela e o roteirista Mark Boal são acusados por republicanos e pelo congressista Peter King de colocarem em risco o segredo de Estado, ao serem beneficiados pelo Departamento de Defesa da administração de Obama com informações sensíveis sobre a captura do terrorista.

O conservador grupo Judicial Watch agora veio à tona com provas de que houve, sim, troca de informações, negada na época pela Casa Branca. Os documentos apontam que o líder e estrategista da divisão 6 do grupo militar SEAL, responsável pela morte de Bin Laden, forneceu detalhes diretamente a Bigelow e Boal sobre a operação. Além disso, de acordo com um e-mail interno da CIA, os dois tiveram acesso ao The Vault, edifício da agência secreta onde foi orquestrada a operação de captura do líder da Al-Qaeda. Ao todo, 53 páginas de registos do Pentágono e 113 páginas de gravações da CIA implicam a participação das agências do governo americano no vazamento de informações.

Em declaração oficial, Bigelow e Boal admitiram o favorecimento, mas tentaram diminuir o impacto do caso: "Já tínhamos planejado nosso filme sobre a perseguição de Bin Laden há vários anos e contamos com os esforços coletivos das três administrações, Clinton, Bush e Obama, assim como a colaboração do Departamento de Departamento de Defesa e a CIA".

Em março, o filme já enfrentava problemas, dessa vez devido a protestos de manifestantes hinduístas, que se opuseram à ambientação da trama no Paquistão.

Zero Dark Thirty tem estreia marcada para 19 de dezembro nos EUA.

Comentários

comments powered by Disqus
Publicidade

Redes Sociais

Últimas Atualizações

Cinenews

    Publicidade

    Agora!