(O Cinema em Cena precisa de seu apoio para continuar a existir e a produzir conteúdo de forma independente. Para saber como ajudar, basta clicar aqui - só precisamos de alguns minutinhos para explicar. E obrigado desde já pelo clique!)

----------------------------------

Criado em 1991 por Steve Coogan e Armando Ianuncci, Alan Partridge é um personagem que se tornou icônico na Inglaterra ao satirizar radialistas e apresentadores de TV mais obcecados pela celebridade e por si mesmos do que pela tarefa de entreter e/ou informar seus espectadores. Depois de aparecer em programas de rádio, protagonizar uma série, lançar uma "autobiografia" e aparecer em vídeos no YouTube que se tornaram virais, Partridge ganhou seu primeiro longa-metragem em 2013 - e não desapontou.

Se você assistiu ao ótimo In the Loop (que recomendei no Episódio #09 desta coluna) ou acompanha a série Veep, sabe que Iannucci é um mestre na arte de criar humor a partir do constrangimento e do desconforto - algo que Coogan também conhece bem. Assim, Alan Partridge é um filme que diverte apesar (ou por causa?) da falta de autocrítica de seu personagem-título, que mais interessado em inflar o próprio ego do que em qualquer outra coisa, revela-se um mau patrão, um péssimo colega de trabalho, um amante egoísta e um apresentador medíocre.

E mesmo assim é impossível odiá-lo. Parte disso, claro, se deve ao carisma e ao timing cômico de Steve Coogan, mas é também importante observar como é essencial para o sucesso da narrativa que esta deixe claro que também despreza Partridge. Se o longa sequer parecesse encarar seu protagonista com seriedade ou respeito, toda a estrutura desmoronaria, mas o fato é que o projeto nos convida a rir não com Partridge, mas dele - embora, claro, o sujeito jamais perceba isso, já que aos próprios olhos é um herói inquestionável.

O resultado é um filme que demonstra que, depois de conquistar todas as outras mídias, Alan Partridge também tem potencial imenso para estrelar sua própria franquia no Cinema.

Clique na imagem abaixo para assistir.

Um grande abraço e bons filmes!

Outras edições da coluna:

Episódio #19: Stranger Things
Episódio #18: Em Nome de Deus
Episódio #17: The Invitation
Episódio #16: A Mulher Faz o Homem
Episódio #15: Branco Sai Preto Fica
Episódio #14: O Rei da Comédia
Episódio #13: Jesus Camp
Episódio #12: O Barco: Inferno no Mar
Episódio #11: A Fortuna de Ned
Episódio #10: Amy
Episódio #09: In the Loop
Episódio #08: Life Itself
Episódio #07: À Procura de Elly
Episódio #06: O Guarda
Episódio #05: Triângulo do Medo
Episódio #04: Tempo de Despertar
Episódio #03: A Trapaça
Episódio #02: Tyke: Elephant Outlaw
Episódio Piloto: 21 longas para começar.


Seja o primeiro a comentar!

 

Publicidade

Publicidade

Colunista:

Pablo Villaça

Pablo Villaça, 18 de setembro de 1974, é um crítico cinematográfico brasileiro. É editor do site Cinema em Cena, que criou em 1997, o mais antigo site de cinema no Brasil. Trabalha analisando filmes desde 1994 e colaborou em periódicos nacionais como MovieStar, Sci-Fi News, Sci-Fi Cinema, Replicante e SET. Também é professor de Linguagem e Crítica Cinematográficas.

Publicidade

 

Redes Sociais Sobre